terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Caravana cultural chega a Campos, Macaé e São João da Barra

Publicado em: 03 de dezembro de 2013 | PORTALOZK.COM CAMPOS-RJ 
A caravana do Mapa de Cultura do Rio de Janeiro retorna à região Norte Fluminense em busca de mais riquezas e diversidades da cultura do estado. Nesta fase, pesquisadores percorrem por Macaé (dias 02 e 03 de dezembro); São João da Barra (04 de dezembro) e Campos dos Goytacazes (05 e 06 de dezembro) para identificar, nesses municípios, mais encantos do patrimônio material e imaterial, como música, teatro, artes visuais, arquitetura, gastronomia e dança. Entre as muitas preciosidades culturais e artísticas do Norte Fluminense visitadas nesta fase pela caravana cultural, estão o Coletivo Só pra Moer, a Sociedade Musical Lyra dos Conspiradores e o Barracão do Boi Pintadinho, em Macaé; a bordadeira Marinez, o carnavalesco João Antônio Gaiato e o Polo Gastronômico, em São João da Barra. Em Campos, a caravana vai conferir a arte da Banda Red Jack e a Roda de jongo da Noinha, entre outras programações locais.
Em 2014, o Mapa de Cultura do Rio de Janeiro ganhará uma versão em inglês para apoiar os grandes eventos internacionais. Todo o novo conteúdo do portalwww.mapadecultura.rj.gov.br, lançado há um ano, será bilíngue. Mais de 3 mil verbetes serão traduzidos e 7 mil fotos e 93 vídeos sobre a cultura do Rio de Janeiro já publicados serão legendados. O projeto Mapa de Cultura do Rio de Janeiro é uma grande enciclopédia digital sobre a cultura do Rio, que inclui temas variados como o quilombo São José, em Valença; as rodas da Mana Chica de São Francisco de Itabapoana; as batalhas de MCs que movimentam os domingos de Teresópolis e as rodas de jongo, forrós e folias de reis presentes em várias cidades.
Depois de percorrer, na primeira fase, todos os municípios do estado, os jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas do projeto buscam agora de mais manifestações culturais, personagens e patrimônios do Rio de Janeiro. Nessa segunda etapa, serão produzidos 20 vídeos, ensaios fotográficos e centenas de textos sobre a cultura de 20 cidades das 08 regiões do estado – Metropolitana, Norte, Noroeste, Serrana, Centro-Sul, Médio Paraíba, Costa Verde e Baixadas Litorâneas.
As caravanas do Mapa de Cultura do Rio de Janeiro percorrem novamente, até o dia 13 de dezembro, os municípios de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo, Três Rios, Vassouras, Valença, Barra do Piraí, Volta Redonda, Angra dos Reis, Paraty, Niterói, Cabo Frio, Rio das Ostras, Macaé, São João da Barra, Campos dos Goytacazes, Miracema e Santo Antônio de Pádua.
Disponível na web desde 2012, o Mapa de Cultura do Rio de Janeiro é uma realização da Secretaria de Estado de Cultura, com patrocínio da Petrobras e produção, coordenação e conteúdo da Diadorim Ideias, e oferece um mergulho na cultura do Rio a partir do levantamento de espaços culturais, agenda fixa cultural, personagens, patrimônio material e imaterial e destaques em áreas como dança, cinema, gastronomia, circo e literatura.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013



Hoje também é celebrado o Dia do Saci!

A data não é coincidência: foi criada para valorizar a cultura nacional frente ao Dia das Bruxas, comemorado em países de língua inglesa. 





quarta-feira, 30 de outubro de 2013


                 5 de Novembro “Dia Nacional da Cultura Brasileira”



Origem da palavra cultura e seu significado
A palavra cultura origina-se do latim medieval e significa cultivar o solo, cuidar da terra. Ao longo do tempo, esse termo passou a ser aplicado em diferentes contextos da vida humana e, consequentemente, a ser objeto de várias áreas do conhecimento.

Conceitos de cultura

“Cultura não é simplesmente a arte ou o evento [mas] criação individual e coletiva das obras de arte, do pensamento, os valores, dos comportamentos e do imaginário.” (CHAUÍ, 1992, p. 41)
“Conjunto de traços característicos do modo de vida de uma sociedade, de uma comunidade ou de um grupo, aí compreendidos os aspectos que se podem considerar como os mais cotidianos, os mais triviais ou os mais inconfessáveis” (FORQUIN, 1993, p. 11).

Em função de sua complexidade e importância, o conceito de cultura tem sido abordado por um considerável número de autores. Um conjunto de experiências humanas construídas pelo contato social e acumuladas pelos povos, ao longo do tempo.
 Assim, ela corresponde, na prática, à expressiva variedade de processos e modos de convivência pelos quais os povos constroem suas identidades. Cultura corresponde a tudo aquilo que os indivíduos possuem, pensam e realizam como membros de determinada sociedade. Dessa forma, as maneiras diversificadas de as pessoas viverem também é cultura.

De fato, o termo cultura abarca elementos diversos
– conhecimentos, crenças, comportamentos, artes, costumes, leis, moral, técnicas, valores, e todo e qualquer hábito adquirido pelo indivíduo como membro de determinada sociedade. Por isso, dizemos que ela representa a identidade própria dos homens em determinado tempo e espaço. Isto porque os valores espirituais e materiais vivenciados pelos homens são construídos e transmitidos coletivamente, e acabam por caracterizar uma sociedade.

Diversidade cultural
Figura 1: Maracatu e Bumba meu Boi (Nordeste), Boi-bumbá (Norte), Procissão do Fogaréu (Centro-oeste), Carnaval (Sudeste) e Festa da Uva (Sul): culturas diversas em um mesmo país!

A diversidade cultural é um conceito abrangente, dizendo respeito ao complexo de diferenças culturais que podemos observar entre os indivíduos, tais como linguagem, danças, vestuário, tradições, preceitos morais, religião e as próprias formas de os indivíduos se organizarem em determinada sociedade. Este conceito diz respeito à variedade de práticas culturais e ideias expressas pelas pessoas em determinado ambiente social. (SOUSA, 2008, p. 132)

Figura 2: Capoeira: influência africana
Assim, quando falamos em diversidade cultural entendemos que há distintas sociedades e culturas. Em diferentes tempos e espaços, os humanos adotam maneiras variadas de convivência, valorizando suas diferenças e criando formas de expressá-las em seu meio social. De fato, são justamente as diferenças sociais que traduzem a possibilidade de os indivíduos ampliarem suas experiências culturais na sociedade, à medida que podem recriar, dentre outros, valores, normas, ideias, saberes, hábitos e crenças. Dessa forma, recriam permanentemente a própria cultura.

É importante ressaltar ainda a Cultura popular X Cultura erudita

Cultura popular:

Em sua vida cotidiana, você já percebeu que, como brasileiros, possuímos um grande número de manifestações culturais. Por exemplo: carnaval, festas juninas, a força que possuem o futebol, o artesanato, as danças, determinadas crendices e festas religiosas. A esse tipo de manifestações de um povo damos o nome de cultura popular.

A cultura popular pode ser compreendida, então, como o conjunto de valores tradicionais de determinado povo, que ganham expressão em forma artística dos mais variados tipos. Uma das principais características desse tipo de cultura é o fato de as verdades produzidas pelos indivíduos em seu contexto cotidiano serem, em geral, produzidas e consumidas pelas pessoas que as geram.

Cultura erudita:




Refere-se normalmente àquela cultura que se aprende em livros, escolas, universidades. Em certo sentido esse tipo de cultura provém do pensamento científico, livros, pesquisas universitárias ou, ainda, de estudos gerais construídos com base em variadas leituras. Ela está presente, também, em museus, arte e exposições.
Esses dois tipos de cultura convivem em nossa realidade social e não devem ser classificadas como superior ou inferior, pois ambas traduzem formas importantes de vivermos em sociedade e contribuem grandemente para a nossa formação como pessoa e como cidadão.
Todavia, a sociedade contemporânea tem se mostrado, cada vez mais, complexa, além de se transformar bastante ao longo do tempo. Em consequência disso, é possível identificar nela mais um tipo de cultura – a cultura de massa.
A cultura de massa pode ser compreendida como aquela é transmita pelos meios de comunicação de massa (jornais, revistas, televisão, cinema, internet, dentre outros).


Referência:
CABRAL, Alexandre...[et.al]. Ciências humanas e suas tecnologias módulo 1, volume 1. Rio de Janeiro. Fundação CECIERJ, 2012.



Prédios Históricos de SJB são certificados

Patrimônios Culturais de São João da Barra recebem Certificação do Instituto Herity no dia da Cultura

Por: Gil Miranda

São João da Barra vai receber na próxima terça-feira (05), dia da Cultura, representantes da Herity Internacional, para a entrega das licenças e das Certificações de Qualidade da Gestão do Patrimônio Cultural dos prédios históricos Estação das Artes Derly Machado, Cine Teatro São João, Centro Cultural Narcisa Amália, Igreja de São João Batista, Palácio Cultural Carlos Martins e Casa de Cultura João Oscar.
O município, através do Poder Público Municipal, em 2012, se manifestou oficialmente em participar da certificação e conseguiu importantes parcerias com o Instituto IBIO e o Instituto EBX, através das participações da população nas rodas de debates sobre cultura junto à Gestão Integrada do Território (GIT). Com a visita da Comissão da Instituição, São João da Barra conquistou a certificação após passar pela primeira fase do processo. A organização levou em consideração os quatro quesitos determinantes: percepção do bem cultural – relevância; estado de manutenção e restauro – conservação; informação transmitida ao visitante – comunicação; qualidade de acolhimento – serviços.
A Herity, que tem sede em Roma na Itália, é uma instituição totalmente independente, sem fins lucrativos, que visa o incentivo e a preservação dos espaços patrimoniais culturais materiais de relevância e o desenvolvimento econômico, buscando sempre o equilíbrio entre esses fatores, componentes da sustentabilidade. A busca da gerência consciente dos patrimônios culturais materiais a serem certificados é o que, na realidade, move a Herity Internacional. Além disso, a Instituição tem importante visão em trabalhar pela gestão de qualidade do patrimônio cultural mundial.
Diante das observações feitas e dos resultados obtidos pela participação da Herity, São João da Barra se tornou o mais novo local a fazer parte de tão importante certificação, que já existe pelo mundo em 243 lugares diferentes, desde 2004. A própria UNESCO vem reconhecendo a certificação Herity como forte ferramenta de gestão de qualidade de patrimônios culturais materiais, tornando-se do conhecimento de seus resultados como parâmetros para políticas internacionais de vigília e incentivo de conservação dos diversos patrimônios culturais espalhados pelo globo terrestre. A cidade entra para um rol de patrimônios culturais relevantes, certificados no Brasil e no mundo, destacando-se entre eles: Museu das Minas e do Metal – Minas Gerais, Parque Nacional da Serra da Capivara – Piauí, onde foi encontrada a ossada do primeiro homem americano, São José – Santa Catarina e a Fortaleza da Barra – Santos, São Paulo.

Os Alvos - Símbolos que compõem as placas de cada Certificação Herity, conquistadas pelos prédios locais. Depois de fixadas em cada espaço, as placas visam incentivar seus gestores à busca de melhorias constantes nos quatro quesitos, cujo objetivo é o de se chegar próximo a excelência da gestão de patrimônio cultural, com alto grau de satisfação dos seus visitantes. Vale ressaltar, que a certificação da Herity tem prazo de vencimento de três anos. Daí, a Prefeitura de São João da Barra, poderá manifestar novamente o interesse em pedir a sua reavaliação para aumentar, dentro do alvo de cada prédio, sua pontuação nos quatro quesitos que são mostrados transparentemente para o público visitante. 


Programação 
A programação tem início às 10h, com a coletiva de imprensa que acontece em solenidade oficial no Prédio da Casa de Câmara e Cadeia. Em seguida haverá a entrega das licenças e certificados para cada gestor dos espaços culturais, descerramento das placas e apresentações culturais locais.
- 14h Entrega da licença e descerramento de placa na Estação das Artes Derly Machado/ Feira externa com barracas do artesanato local e degustação dos doces típicos.
- 15h Entrega da licença e descerramento de placa no Cine Teatro São João/ Apresentação de vídeo institucional de movimento teatral e esquete.
- 16h Entrega da licença e descerramento de placa no Centro Cultural Narcisa Amália/ Apresentação do Monólogo “Vida de Narcisa Amália” e mostras das oficinas de geração de renda e artesanato.
- 17h Entrega da licença e descerramento de placa na Igreja Matriz de São João Batista/ Hasteamento do mastro de São João Batista e Coroação de Nossa Senhora do Rosário no interior da Igreja.
- 18h Entrega da licença e descerramento de placa Palácio Cultural Carlos Martins/ Apresentação de música instrumental, oficina de balé e desenhos e exposição de quadros que retratam a cidade.
- 19h Entrega da licença e descerramento de placa Antiga Casa da Câmara e Cadeia Pública/ Visitação guiada com explanação histórica do prédio e da Vila da Praia e Encenação de julgamento na sala de audiência.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

                                         
                                                                           Dia do Folclore 

  Quadrilha de São João da Barra - Arquivo pessoal




Comemoração

O Dia 22 de agosto é marcado por várias comemorações em todo território nacional. Nas escolas e centros culturais são realizadas atividades diversas cujo objetivo principal é passar a diante a riqueza cultural de nosso folclore. Os jovens fazem pesquisas, trabalhos e apresentações, destacando os contos folclóricos e seus principais personagens. É o momento de contarmos e ouvirmos as histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto, Boitatá, dentre outros.
Nesta data, também são valorizadas e praticadas as danças, brincadeiras e festas folclóricas.

          O que é Folclore?


Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.
As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.
Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.

Brincadeiras do Folclore

O que são?

Além dos contos, danças, festas e lendas, o folclore brasileiro é marcado pelas tradicionais brincadeiras. As brincadeiras folclóricas são aquelas que passam de geração para geração. Muitas delas existem há décadas ou até séculos. Costumam sofrer modificações de acordo com a região e a época, porém, a essência das brincadeiras continua a mesma da origem.
Grande parte das brincadeiras folclóricas envolve disputas individuais ou em grupos. Possibilitam também a integração e o desenvolvimento social e motor das crianças.
A preservação destas brincadeiras é muito importante para a manutenção da cultura folclórica. Por isso, são muito praticadas, principalmente, durante o mês de agosto que é destinado ao folclore.


Jogos, brincadeiras e brinquedos do folclore:



Soltar pipa: as pipas, também conhecidas como papagaios, são feitas de varetas de madeira e papel. Coloridas, são empinadas (soltadas) pelos meninos em dias de vento. Com uma linha, os garotos conseguem direcionar e fazer malabarismos no céu.
Estilingue: também conhecidos como bodoques, são feitos de galhos de madeira e borracha. Os meninos usam pedras para acertar alvos (latas, garrafas e outros objetos). 
Pega-pega: esta brincadeira envolve muita atividade física. Uma criança deve correr e tocar outra. A criança tocada passa  ter que fazer o mesmo.
Esconde-esconde: o objetivo é se esconder e não ser encontrado pela criança que está procurando. A criança que deverá procurar deve ficar de olhos tapados e contar até certo número enquanto as outras se escondem. Para ganhar, a criança que está procurando deve encontrar todos os escondidos e correr para a base. 
Bola de gude: coloridas e feitas de vidro, são jogadas no chão de terra pelos meninos. O objetivo é bater na bolinha do adversário para ganhar pontos ou a própria bola do colega.
Boneca de panofeitas pelas mães e avós, são usadas em brincadeiras pelas meninas para simular crianças integrantes de uma família imaginária.
Piãoa brincadeira de pião ainda faz muito sucesso, principalmente, nas regiões do interior do Brasil. Feitos de madeira, os piões são rodados no chão através de um barbante que é enrolado e puxado com força. Muitas crianças pintam seus piões. Para deixar mais emocionante a brincadeira, muitos meninos fazem malabarismo com os piões enquanto eles rodam. O mais conhecido é pegar o pião com a palma da mão enquanto ele está rodando.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013



 Dia do Historiador - 19 de agosto



"Ser membro da consciência humana é situar-se 
com relação ao seu passado".
(ERIC J ROBSBAWM)





Imagem: historiasevariaveis.blogspot.com

segunda-feira, 17 de junho de 2013

quinta-feira, 6 de junho de 2013


Circuito Junino 2013







        O Circuito Junino de São João da Barra é um dos maiores festejos do interior do Estado do Rio de Janeiro. São diversas atrações com shows, missas solenes, competições esportivas, corrida rústica, ciclismo, caiaque, natação, barco a vela, dentre outros.
Este evento caracteriza muito bem as manifestações da cultura popular, as crenças, as resistências, a tradição como comidas típicas, artesanato, esporte, barraquinhas, celebração, quadrilhas e músicas.
A Procissão fluvial é uma das fortes manifestações culturais do município que vem passando de geração em geração ao longo dos anos.
Esta tradição homenageia três santos que são: Santo Antônio, São João Batista e São Pedro. No dia 13 de junho a homenagem é para o Santo Antônio (dia do padroeiro dos pobres e casamenteiros). 
No dia 24 de junho é comemorada a principal festa do Circuito que tem sua origem no século XVII, dia do Padroeiro da cidade, São João Batista. E por fim, a Festa de São Pedro no dia 29 de junho, padroeiro dos pescadores. A Festa de São Pedro tem procissão fluvial com diversos barcos enfeitados e bem coloridos. As comemorações acontecem na sede e nos distritos de Cajueiro e Pipeiras.
Os festejos do Circuito Junino inclui ainda, leilão de prendas, FESCAM (Festival de Música), concursos de quadrilhas, entre outras atrações que atrai diversos turistas da região e do Estado do Rio de Janeiro. O evento terá diversos shows, tais bandas como: Jeito Moleque, Naldo Benny, Guilherme e Santiago, Perdidos na Selva e Gabriel Gava.





Fonte das imagens: www.facebook.com/sjboficial