segunda-feira, 16 de abril de 2012

Comemoração a Nossa Senhora da Penha em Atafona
16 de Abril de 2012










Fotos de Marcos Júnior



Procissão fluvial encanta fiéis em Atafona


    Ciro Mariano

Mariana Ricci

A mais tradicional das festividades religiosas de São João da Barra decorreu com tranquilidade e em clima de paz, união e comunhão: A procissão de Nossa Senhora da Penha, protetora de Atafona, transformou o pacífico cenário da localidade beira-mar em um espetáculo de fé, com a imagem de Nossa Senhora sendo levada de barco em um cortejo pluvial onde não faltaram fogos, clamores e aplausos.

O evento religioso reuniu um grandioso número de pessoas, tanto devotos como curiosos, provenientes de todas as partes do município e também de cidades vizinhas para a tarde de comunhão e agradecimento às bênçãos recebidas durante o ano e creditadas à padroeira de Atafona.

Durante mais de duas horas cruzando as águas do litoral de Atafona, a imagem de Nossa Senhora da Penha visitou várias ilhas e recebeu as preces de uma multidão de devotos e penitentes, que compareceram ao local para cumprir as promessas feitas à santa em troca da realização de milagres.

Este ano, o tema foi “Bem Aventurada é a Mãe do meu Senhor”, escolhido em homenagem ao dia 15 de abril, quando é comemorado o Dia da Misericórdia e Perdão, virtudes largamente atribuídas à protetora da localidade.

Mariana Ricci

A realização do rito de agradecimento, cuja primeira edição data de 1822, na ocasião da inauguração da igreja – de acordo com jornais da época – não consta no calendário de outras localidades de que a santa é padroeira. Ainda hoje, moradores de toda a cidade e de municípios vizinhos acompanham a procissão, muitos com o intuito de preservar o costume e a tradição da fé católica em Atafona, como no caso da aposentada Ilma Cardoso, 65 anos, que é grata à santa por muitas bênçãos concedidas a sua família.


— Já moro aqui há mais de 30 anos, e sou testemunha de muitos milagres perpetrados por Nossa Senhora da Penha. Há mais ou menos 20 anos, a imagem dela que é levada na procissão desapareceu e quase entramos em desespero, mas tivemos fé, fizemos muitas correntes de oração, todo dia fazendo novena, até que depois de nove dias ela foi encontrada dentro d’água, aqui no litoral. Foi muito lindo, uma coisa impressionante — relata Ilma.
Outras pessoas, como é o caso da aposentada Maria da Penha Lopez, de 78 anos, chegam guiadas pela própria fé e pura força de vontade para o cumprimento de promessas.

— Eu teria que ficar o dia inteiro contando sobre o que passei com o que aconteceu com minha família e às dádivas concedidas por Nossa Senhora. Minha filha teve um tumor diagnosticado no olho esquerdo, e disseram que para tentar salvar a vida dela seria preciso tirar seu olho e a orelha. Pois eu não deixei que fizessem isso sem fazer uma promessa à Nossa Senhora. Pouco tempo depois, fizeram mais exames e ela estava totalmente curada — diz Maria emocionada, ao contar também que, para pagar a promessa, foi de casa em casa durante um bom tempo pedindo esmolas para comprar flores à santa.

Ao anoitecer, a procissão pluvial aportou na foz do Rio Paraíba, de onde a imagem foi transportada para a Igreja de Nossa Senhora da Penha, para ser coroada. O evento ainda contou com a apresentação da banda da Polícia Militar e um show com Dom Américo e Banda.

Fonte:  Folha da Manhã, 16 de abril de 2012- http://fmanha.com.br/#1213836167/1334529637